Facas Gaúchas
 
Cuidados na manutenção de facas


****** REGRA Nº 01: GUARDAR A FACA LIMPA E SECA.

Este é um assunto bastante delicado, ainda mais em locais com grande tradição no uso de facas, como é o Rio Grande do Sul. Cada gaúcho tem a sua receita própria de como afiar e manter a sua faca, infelizmente nem sempre com resultados satisfatórios, o que acaba por comprometer as características da faca ao longo do tempo.
Uma coisa importante de se ter em mente é o fato de que as facas são, em última análise, ferramentas de metal, e assim devem ser tratadas. O cuidado dispensado a essas ferramentas é diretamente proporcional à vida útil da mesma, e é comum a figura do gaúcho com a faca corroída e bastante comprometida, a lamentar da perda da qualidade de sua peça.
As facas não são eternas, e se utilizadas tendem ao desgaste, como qualquer ferramenta ou utensílio. As condições de uso como o clima, a temperatura, a luz, a umidade, os oxidantes, a manipulação, são todos fatores que acabam por comprometer a faca ao longo do tempo.
Para garantir que a sua faca tenha perfeito desempenho e também mantenha um bom acabamento e condições estéticas “de fábrica”, é necessário que se observem algumas dicas de manutenção.
Seguem algumas dicas:
- Facas de uso em cozinha não devem ser deixadas submersas na água quente com detergente ou sabão, o que acaba por comprometer principalmente o material do cabo, ainda mais se essa faca for de fabricação artesanal e empregue materiais naturais (orgânicos) como osso e madeira em sua composição;
- Não lave facas em lavadoras de louças, pelos mesmos motivos. Essas máquinas elevam a temperatura a níveis que podem, a longo prazo, comprometer as características do aço;
- Canivetes e outras “folding knives” devem ser fechados com cuidado, a fim de que não haja choques internos entre a lâmina e algum batente;
- Uma faca de uso continuado deve ser mantida sempre limpa e afiada. Uma faca com pouco fio é mais perigosa do que uma afiada, já que é preciso menos força no uso desta última, o que diminui o risco de acidentes;
- Há no mercado uma grande variedade de produtos para afiação. Evite afiar a faca em esmeril ou ferramenta similar, pois há risco de elevar a temperatura do aço e comprometer o tratamento térmico dado à lâmina;
- Teste o fio da faca em uma folha de jornal, segura a certa distância entre os dedos, com cuidado. Com este teste é bem fácil detectar pontos onde a afiação é falha. Uma faca afiada deve partir a folha facilmente, sem serrar o papel, apenas deslizando suavemente;
- Lembre que lâminas em aço inox também enferrujam e requerem o mesmo cuidado das lâminas em aço carbono;
- Após o uso, lave a faca em água corrente, secando-a em seguida, e aplicando na lâmina uma camada fina de óleo protetor. No máximo utilize água morna, nunca fervente. A secagem deve ser completa antes do armazenamento da peça;
- Nunca guarde a faca por longos períodos dentro da bainha, pois os produtos empregados na preparação do couro podem afetar o aço. Prefira a guarda em local seco, após a limpeza e lubrificação protetora;
- As facas de aço carbono costumam manchar com o uso. Isso é normal, e faz parte do processo natural de oxidação superficial deste tipo de aço. Limpe esse tipo de lâmina com água morna e bicarbonato de sódio, lubrificando-as em seguida;
- Na falta de um óleo neutro apropriado, é possível utilizar óleo de cozinha para a lubrificação da faca após o uso. Se for utilizado algum óleo sintético, limpar a faca novamente antes de utilizá-la em alimentos;
- Um kit básico de limpeza inclui óleo de cravo ou de cozinha, uma caixa de lenços de papel ou papel toalha e uma flanela para secagem e limpeza;
- Cepos e blocos de madeira são ótimos para armazenagem de facas, já que isolam a lamina e impedem o desgaste por choque ou abrasão.